Imprimir

Imaginário dos afetos femininos na literatura: ensaios

Capa do livro Imaginário dos afetos femininos na literatura: ensaiosPRODUTO ESGOTADO

Na opinião de Mircea Eliade, no livro O mito do eterno retorno, o mundo não produz nada de novo, pois tudo consiste na repetição dos mesmos arquétipos primordiais, atualizando o momento mítico em que o gesto arquetípico foi revelado.

 O significado dessa repetição é que ela confere uma realidade aos acontecimentos. "Os acontecimentos repetem-se porque imitam um arquétipo: o Acontecimento Exemplar. Além disso, pela repetição, o tempo é suspenso, ou, pelo menos, a sua virulência é atenuada".

As fórmulas e as imagens que exprimem a realidade primitiva podem parecer ingênuas e, até mesmo, ridículas: o importante é que o sentido profundo do comportamento primitivo é revelador. Coletivos ou individuais, os ritos de renovação contêm sempre na sua estrutura e no seu significado um elemento de regeneração pela repetição de um ato arquetípico – quase sempre o ato cosmogônico.

A abolição do tempo profano e a projeção do homem no tempo mítico só se produzem em intervalos essenciais, ou seja, no momento dos rituais ou dos atos importantes, uma vez que a rotina da vida cotidiana estende-se, em sua maior parte, no tempo profano desprovido de significado.

Dados do Livro

AUTORA: Vera Lucia Albuquerque de Moraes
PÁGINAS: 233
ISBN: 978-85-7282-675-4
ANO: 2015
(VALOR: R$ 30,00)